O papel nas empresas vai acabar?

O mundo moderno está a cada dia se transformando. Os meios tecnológicos, com seus aperfeiçoamentos, transformam rapidamente vários meios, tal qual o CD, o disquete e agora, a bola da vez, o papel.

A digitalização de documentos e os e-books, por exemplo, fazem com que o papel, um produto tão antigo em nossas vidas, fique em segundo plano. Mas com toda essa modernização e a menor utilização do papel, surge um questionamento: O uso do papel nas empresas vai acabar?

A maioria das empresas (privadas e públicas) já está aderindo à modernização de digitalização e processos eletrônicos em seus âmbitos profissionais. O papel, aos poucos, vai sendo deixado de lado, e os computadores ainda mais usados.

A Medida Provisória 2.200-2/2001, instituiu a assinatura eletrônica e permitiu que um documento assinado no meio digital tivesse o mesmo valor probante que um documento físico. Alguns projetos de lei prevê em que os documentos físicos sejam destruídos, uma vez que os digitalizados já estejam salvos e mais recentemente, o decreto 8.539/2015, permitiu que os órgãos públicos devolvessem os documentos recebidos após a autenticação e conferência de servidor público.

Além disso, a redução de custos, modernização tecnológica e contribuição à sustentabilidade ambiental são outros fatores que beneficiam a nova lei.

Mesmo que ainda muitas empresas utilizem o papel para trabalho, aos poucos a modernização e a digitalização vão ganhando ainda mais espaço no cenário mercadológico, mas ainda acredito que o papel dure bastante tempo, pois os livros ainda são muito vendidos em papel e muitos documentos, como os de Recursos Humanos, ainda exigem a guarda por longa data e que o meio de suporte seja físico.

Então nos preparemos para um mundo onde o formato híbrido dos processos (parte papel e parte eletrônico) deverá ser o nosso padrão.

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.